30.05.2015

O IHF apoiou o workshop promovido pela Associação Viva e Deixe Viver, em parceira com o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clinicas de São Paulo.

A 7ª edição do workshop “A descoberta do brincar e contar histórias na saúde mental”, organizado pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo – IPqHCFMUSP e a Associação Viva e Deixe Viver, esse ano contou com o apoio do IHF.

O evento tem por objetivo incentivar a prática de atividades lúdicas no tratamento de pacientes com transtornos mentais. Nesta edição, o workshop contou com uma programação de palestras e minicursos relacionados à arte do brincar, além de uma Exposição de Desenhos realizados pelas crianças e adolescentes, pacientes do IPq, inspirados em histórias criadas partir da aplicação do jogo “Eu Conto! ”. A palestra de abertura foi sobre “Resiliência, Ludicidade e o Adolescente em situação de risco”, e ficou a cargo dos médicos psiquiatras Enio Roberto de Andrade e Marisol Montero Sendin, e Valdir Cimino, fundador do Viva e Deixe Viver. Entre os palestrantes, o evento também contou com a presença da médica psiquiatra Sandra Scivoleto e da terapeuta ocupacional Adriana Vizzotto, ambas do IPq, além do desembargador Antonio Carlos Malheiros, coordenador da Vara de Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo. O evento contou também com minicursos sobre brinquedotecas, contação de histórias e a utilização de cães no tratamento, com a participação do grupo TAC – Terapia Assistida por Cães.

“A cada ano, procuramos incorporar novos temas a este debate, que tem contribuído para o aperfeiçoamento dos profissionais que lidam com este tipo de público, carente de cuidados tão especiais. É por meio desta salutar troca de experiências que estamos conseguindo modificar para melhor o cenário do tratamento de crianças e adolescentes com estado emocional alterado em função de uma patologia, em outras instituições brasileiras”, afirma Cimino. Coube a ele também a palestra sobre o Diário do Contador de História, além da oficina “Com uma História na Cabeça”, em parceria com Violeta Dib.  

Por sua vez, o diretor executivo do IHF, Octavio Florisbal, elogia a iniciativa, considerando-a “um projeto de grande importância para os profissionais que atuam no desenvolvimento socioeducativo e cultural de crianças e adolescentes com transtornos mentais” Ele complementa: “O Instituto Helena Florisbal sente-se privilegiado em apoiar esse workshop que está na sua oitava edição e contribui na difusão de atitudes voltadas para a humanização da saúde no país. ”